Notícias

Blog Single Image
11
maio

Conselho Pleno toma deliberações sobre as manifestações no Centro Cívico


O Conselho Pleno da OAB Paraná aprovou o relatório elaborado pelos observadores da OAB que estiveram acompanhando as manifestações no Centro Cívico nos dias 29 e 30 de abril, bem como 1º. de maio, e que agora será enviado ao Ministério Público (MP), para subsidiar as investigações sobre os excessos praticados durante as manifestações públicas. O relatório concluiu que houve abusos na ação policial.

O Conselho, reunido na última sexta-feira (8) em sessão ordinária, aprovou o acompanhamento pela OAB Paraná de todos os processos referentes às prisões de manifestantes, bem como os trabalhos de apuração pelo MP quanto aos abusos praticados pelas autoridades.

Os conselheiros reafirmaram a necessidade de que a apuração de responsabilidades seja feita em relação a todas as autoridades que tiveram participação na determinação dos atos contra os manifestantes, independentemente dos cargos que ocupam ou ocuparam.

O trabalho realizado pelos advogados designados pela OAB para acompanhar as manifestações foi elogiado por todos os conselheiros.

Para o presidente do Instituto dos Advogados do Paraná (IAP) e conselheiro federal da OAB Paraná José Lucio Glomb, o papel da OAB foi decisivo, emitindo posicionamentos firmes em defesa da democracia. O conselheiro Gabriel Janeiro, defendeu a continuidade dos trabalhos pela OAB: “Os atos violentos contra os manifestantes e contra a democracia merecem não somente a repulsa veemente, mas também exigem punição daqueles que abusaram de seus poderes. A OAB deve continuar acompanhando os inquéritos e procedimentos instaurados pelo MP”, disse Janeiro.

A conselheira Juliana Cole Bretas destacou o cumprimento pela OAB de sua missão institucional: “É preciso aplaudir os advogados que representaram nossa instituição. O papel histórico da OAB foi honrado, posicionando-se ao lado da sociedade em total repulsa à violência e ao abuso de poder,” comentou Juliana.

O conselheiro Alexandre Salomão, um dos advogados que esteve o tempo todo no Centro Cívico, lembrou que em determinado momento alguns quiseram rasgar a bandeira do Paraná, tendo o secretário da Seccional, Eroulths Cortiano Junior impedido o ato, mostrando que aquela atitude não era compatível com a liberdade de manifestação.

http://www.oabpr.com.br/Noticias.aspx?id=21110


Os comentários estão desativados.